domingo, 25 de julho de 2010

Carta é entregue com mais de 70 anos de atraso nos EUA.


Uma carta foi entregue com mais de 70 anos de atraso em Stockton, no estado da Califórnia (EUA). A correspondência tinha sido enviada em 23 de dezembro de 1937, mas só chegou ao seu destino na semana passada, segundo reportagem da emissora de TV "CBS 13".
A carta foi entregue no Centro de Mulher do condado de San Joaquin. No entanto o prédio abrigava um convento há sete décadas. "Como pode uma carta ficar perdida no sistema por 73 anos?", questionou a diretora do Centro da Mulher, Joelle Gomez.
A carta tinha sido enviada para Marie Fergone e dizia: "Querida Marie, feliz Natal para você e um ano cheio de bênção". Joelle localizou a família de Marie, que, na época, estava estudando no convento para se tornar uma freira, mas, depois, abandonou.
Segundo a reportagem, a mulher construiu uma família e morreu no ano passado. Joelle disse acreditar que a vida de Marie pudesse ter sido diferente se ela tivesse recebido a carta. "Era uma carta de encorajamento para ela continuar a estudar. Talvez, sua vida tivesse um final diferente."
Fonte: http://g1.globo.com/planeta-bizarro/noticia/2010/07/carta-e-entregue-com-mais-de-70-anos-de-atraso-nos-eua.html

______________________________________________________________________


Há uma coisa que me incomoda deveras, o atraso. Claro que já me atrasei para muitas obrigações, o triste é quando isso vira uma regra. Você marca com a pessoa com a margem de quarenta e cinco minutos pra frente. É terrível!

Não sou tão chato quanto o texto está transparecendo. Dez a quinze minutos nem considero atraso, embora seja raro eu ter esse tipo de comportamento. Não chego antes e nem depois, apenas na hora. Isso tem me atrapalhado muito, posto o fato que tenho uma bela e doce namorada.

Deixa pra lá, vai que ela lê isso aqui aí to frito. No caso da freirinha noticiada, o atraso pode ter significado até uma alteração nos planos de vida. E olha que nem é mais do que quarenta e cinco minutos. São setenta anos!

Tive a pachorra de calcular quantos minutos existem nesse espaço de tempo. Contam, inclusive com os anos bissextos, aproximadamente, trinta e seis milhões setecentos e dezesseis mil e quatrocentos minutos. Ufa!

A questão do atraso atrela-se, necessariamente, a três componentes: 1 Vida moderna; 2 Desorganização do tempo; 3 Desconsideração do outro. Para alguém não chegar na hora que combinou, pelo menos uma dessas variantes é a justificativa verdadeira.

Nos preocupamos com atrasos principalmente dentro de um hospital ou qualquer coisa relacionada com um médico. Os médicos, ou pelo menos parte considerável deles, são os únicos em que as três variantes podem ser usadas simultaneamente. Os meros mortais, normalmente, se apegam em apenas uma delas, mudando de desculpa conforme a situação.

Oscar Wilde tinha um pensamento bem interessante sobre o atraso: ”Se você não se atrasar demais, posso te esperar por toda a minha vida”. Dona Marie Fergone não esperou o tempo sugestionado pelo escritor. Mas imaginem se tivesse.

3 comentários:

rosenes iudesneider disse...

"...posto o fato que tenho uma bela e doce namorada."

sorte q a citação de Oscar Wilde é linda, não é xuxu??

Ulisses Coelho disse...

mais linda ainda é minha namorada! gatinhaaaaaaaaaaaa!!!!!

Sedentário disse...

O atraso que mais odeio é o ônibus, ninguém merece ficar uma hora esperando condução. Imagine se a carta fosse um pedido de socorro, gostaria de saber se verificarm o remetente para ver se está tudo bem. Abraços!!